Coaching é um programa de 10 a 12 sessões diferentes para traçar objetivos, acompanhar o plano de ação e recalcular a rota com a ajuda de vários exercícios.

Cada formação e especialidade vai preparar o profissional com uma bagagem diferente e ele customiza o plano de sessões de acordo com a necessidade do coachee. Porém, de maneira geral, existe uma estrutura básica para as sessões de coaching dividida em cinco etapas. Elas podem ser trabalhadas em encontros semanais ou quinzenais de 30min ou 1h e buscam fomentar a mudança para melhor. O coachee tem um papel ativo nesse processo e pode pedir, buscar e propor exercícios ou direcionamentos com o coach:

1. Abertura – quando o processo começa, coach e coachee conversam sobre expectativas, logística, métodos e técnicas, além de se apresentar mutuamente. Ele abre cada sessão solicitando a tarefa da sessão anterior, revisa o objetivo traçado e o progresso feito, define com o coachee o que trabalharão na sessão do dia e explica sobre as intervenções que pode aplicar.

2. Coleta de informações – conversas longas sobre o seu desafio para que o coach conheça o atual estado do objetivo, possa identificar padrões recorrentes e perceber quando os padrões mudam. Para isso, o coach usa técnicas e exercícios práticos e você disponibiliza o máximo de informações possível.   

3. Educação – quando o coachee aprende algo novo sobre si mesmo graças ao coaching ele se torna mais propenso à mudança e mais autoconsciente. Com este objetivo, o coach compartilha conhecimento sobre a mente consciente e inconsciente, a relação entre o corpo e a mente, programação neurolinguistica, modelo de comunicação e ciclo de comunicação, funcionamento das crenças, profecias auto realizáveis, entre outros pontos importantes para o aprimoramento pessoal.

4. Intervenções – reflexões e exercícios para provocar mudanças amplas nos seus hábitos, de acordo com as necessidades identificadas pelo coach. No processo de intervenção, o coach sempre pede a colaboração da mente inconsciente em busca das intenções positivas e saudáveis para o coachee, removendo ou modificando as referências que estão impedindo o progresso e colocando outras no lugar.


5. Encerramento – neste momento o objetivo é finalizar com um estado de ânimo positivo para consolidar o trabalho realizado. Cada passo dado é um passo mais perto dos objetivos traçados.

O processo de coaching é elástico e se adapta ao ritmo das mudanças do próprio coachee. Conforme o progresso feito, novas atividades, dinâmicas e projeções mentais são introduzidas pelo coach para superar as anteriores e buscar novos resultados positivos. Processos de coaching desenvolvidos com equipes esportivas ou corporativas seguirão outra estrutura e dinâmicas.

Treinando para a vitória

Como sabemos, o significado da palavra coach é treinador, termo emprestado do mundo esportivo para o contexto de desenvolvimento pessoal e de carreira, e o que todo treinador deseja para o seu atleta é condicioná-lo a se tornar a melhor versão de si mesmo. Como quebrar um recorde mundial? Como ter resultados muito acima da média? Além do treino físico, as ferramentas de coaching trabalham o lado emocional, o foco e a orientação aos resultados.

Treino para as adversidades: nadando como Michael Phelps

Na última prova de nado borboleta das Olimpíadas de 2008, os óculos de natação de Michael Phelps, campeão americano, se encheram de água e se Phelps parasse para corrigir ele perderia a prova e a chance de bater o recorde de 8 medalhas de ouro. Phelps continuou nadando no mesmo ritmo, mesmo sem enxergar, se condicionando a intuir o momento certo de virar na borda da piscina graças a muito treinamento.

“Se eu não me preparasse para tudo o que pudesse acontecer, quando os meus óculos se encheram de água eu provavelmente teria pirado. Por isso eu nado no escuro.” Michael Phelps

Phelps literalmente treinava natação com óculos pintados com marcador permanente, que o impediam de enxergar, mas que o prepararam física e emocionalmente para a prova de Beijing. Ele ganhou a competição, levou a oitava medalha e estabeleceu um novo recorde mundial. Na relação de mais de 20 anos com o seu treinador, o exigente Bob Bowman, a evolução foi necessária de ambas partes: tanto Michael quanto Bob precisaram aperfeiçoar suas técnicas ao longo dos treinos.

Ferramentas de coaching

Tal qual na prática de um esporte, no coaching de vida ou de carreira, o treino mental e emocional são necessários para superar obstáculos e conquistar objetivos. Para chegar lá, cada coach tem seu arsenal de ferramentas, mas a gente listou alguns exercícios mais conhecidos nesse meio:

Mapa de valores – os nossos valores orientam as nossas escolhas e cada um sabe o que é negociável e do que não abre mão. Mapear o que é um valor e o que é uma necessidade ajuda a refletir sobre os incômodos, reconhecer os nossos limites e reestabelecer o equilíbrio.

Roda da vida – uma autoavaliação com notas de 0 a 10 para cada pilar fundamental da vida (saúde, relacionamentos, família, trabalho, espiritualidade, etc) e identificação dos pontos em desequilíbrio.

Roda de competências – após traçar os objetivos mensuráveis, específicos, alcançáveis, realistas e com prazo, se escolhem as competências que precisam ser trabalhadas no coaching para atingir os objetivos.

Modelagem – o objetivo que deseja alcançar, quem conhece que já o conseguiu? As competências que deseja adquirir, em quem percebeu que já estão desenvolvidas? Os modelos são referências necessárias para seu percurso na vida profissional e pessoal, assim você usa exemplos reais sem idealizações.

Desenho de conversas – no coaching ontológico, onde se trabalha sobretudo a linguagem, o desenho de conversas envolve um jogo de papéis para replicar a postura corporal, comunicação verbal, seus significados e emoções, de forma a fundamentar se a percepção da situação é realista ou não.

Dicas para ser um bom coachee

Contratar o melhor coach disponível não basta: para extrair o máximo do seu processo de coaching você também deve se dedicar. Confira as nossas dicas para se tornar um bom coachee:

  • Expressar com clareza as questões com as quais precisa de ajuda, o progresso percebido e direcionais que busca do coach.
  • Refletir sobre as questões propostas.
  • Escutar ativamente.
  • Ter abertura e flexibilidade para elementos racionais e emocionais durante o processo.
  • Buscar aprender cada vez mais.

Treinar para a vitória requer dedicação e sacrifício, mas agora que você sabe como funciona uma sessão de coaching, talvez esteja na hora de entender como encontrar o melhor coach e iniciar o seu processo. Na A-cubed, acreditamos que a melhoria contínua é uma das chaves para o sucesso. Conheça os nossos planos e aplique a nossa metodologia conforme a sua necessidade para avançar na carreira, para o desenvolvimento pessoal ou para ser aprovado(a) em um exame importante, vestibular ou concurso. ((link para página de produto))

Fontes: Telegraph

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *