O profissional que trabalha com coaching precisa dominar algumas habilidades. Conheça as características, funções básicas e critérios para ser um bom coach.

Nos últimos anos houve um verdadeiro boom na popularidade do coach, pois é uma ocupação que pode complementar a renda de quem já tem um trabalho, mas que gostaria de atuar diretamente com o desenvolvimento de pessoas, desde que possua disponibilidade e perfil para se dedicar a isso. Entretanto, nem todos os interessados em exercer esse papel têm condições para se certificar como coach ou as habilidades necessárias. Conheça os principais pontos antes de cogitar se tornar um coach:

Características de um coach

Com a popularidade do processo de coaching, se diferenciar neste mercado é fundamental. Além de colecionar uma bagagem de experiências diferentes, o coach deve investir em formação, capacitação e possuir uma conduta ímpar. O coach deve exercer o seu papel com dignidade, respeito, confidencialidade e responsabilidade; ser pontual e estar disponível nas formas e horários combinados, recomendar outros profissionais que achar pertinente para o coachee e saber improvisar.

Descrevemos algumas das funções básicas que o coach deve exercer abaixo:

Funções básicas do coach

  • Estabelecer um compromisso mútuo.
  • Estimular o desempenho alinhado com as metas.
  • Fomentar a experimentação.
  • Determinar a área foco do programa e um subfoco, identificados através da roda da vida e escolhidos pelo coachee.
  • Estar atento e com presença de espírito durante as sessões.
  • Poder conduzir o coaching diariamente no local de trabalho como parte do gerenciamento de desempenho geral de uma equipe.
  • Trabalhar o desenvolvimento de habilidades físicas, técnicas ou comportamentais.
  • Ser empático, inspirar confiança e criar rapport.
  • Estar disponível e acessível.
  • Ter sensibilidade para lidar com informações que não esperava.
  • Auxiliar uma pessoa a alcançar sua transformação pessoal.

Quando explicamos como funciona uma sessão de coaching mencionamos sobre o momento da intervenção, quando o coach vai redirecionar o comportamento do coachee. Isso requer um nível extra de sensibilidade e atenção, porque os passos essenciais para essa intervenção e transformação pessoal incluem identificar a necessidade do coachee melhorar e mudar, observar e reunir evidências, motivar e ajudar a planejar como alcançar as metas, observar ações e oferecer feedback objetivo, além de auxiliar o coachee a superar contratempos.

O coach deve estar preparado para receber questionamentos e ser desafiado, ser cúmplice dos resultados alcançados e cobrado por isso.

Trato dos clientes

A responsabilidade de ser um coach é alta e há algumas recomendações sobre como tratar o cliente para que a relação seja positiva para ambos. Se você tem personalidade forte e não gosta de ser contrariado, talvez este não seja o melhor papel para você, pois o coach é, antes de tudo, um incentivador. Abaixo reunimos algumas dicas sobre como tratar o seu coachee:

  • Evitar discutir, buscar ter a razão e colocar o cliente para baixo – o julgamento deve ser evitado.
  • Não colocar etiquetas precipitadamente traçando diagnósticos rápido demais. A confiança se constrói ao longo do tempo.
  • Humor é uma faca de dois gumes e, se não for provocar uma reflexão agradável, é melhor não rir ou ser sarcástico com o coachee.
  • Respeito é a base para um coaching produtivo.

Como ser um coach que desempenha bem o seu papel

Seja na avaliação de uma nova profissão como coach, seja na avaliação do coach que você contratou, observe o seu desempenho profissional refletindo sobre os pontos abaixo:

  • Você pede feedback sobre a sua atuação? Ou o seu coach te pede feedback?
  • Você tem consciência sobre o que faz bem como coach? Ou o seu coach tem consciência sobre o que faz bem?
  • Você tem consciência das suas limitações? Ou o seu coach tem consciência sobre as suas limitações?
  • Você faz anotações, se prepara para cada encontro e revê cada sessão tomando notas para os próximos encontros? Ou o seu coach anota, se prepara e faz seguimento?
  • Você é flexível com horários e formatos para as sessões? Ou o seu coach é flexível?
  • Você percebe quanto tempo da sessão passa falando e ouvindo? Ou o seu coach percebe quanto tempo ouve e quanto tempo fala?

Definição de um nicho de mercado

Não importa se você deseja ser um life coach, coach executivo, financeiro ou familiar, mas a especialização em um perfil de público ou área de mercado é uma boa ideia para personalizar a oferta e desenvolver metodologias próprias. Apesar deste item não ser essencial à carreira, pode ser um objetivo secundário depois que ganhar tempo de experiência como coach.

Apesar de não existir uma receita de bolo com os ingredientes do coach perfeito, sabemos que ele deve estabelecer uma conexão genuína com o seu coachee, ter uma base ética e moral muito sólida e se comunicar bem. Sem essas características essenciais para se tornar um coach, será difícil estabelecer uma clientela sólida e um sistema de indicações.
Por último, mas não menos importante, a curiosidade move um bom coach. Se você deseja se tornar um eterno aprendiz, invista no nosso programa de lifelong learning e aprenda as técnicas certas para fixar o conhecimento e aprender o que quiser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *